O que é remarketing? Entenda sua importância

Se você está se perguntando o que é remarketing, sem dúvida já deve ter se deparado com informações sobre o abrangente universo de Marketing Digital e suas inúmeras estratégias adotadas pelas empresas modernas, não é verdade?

Afinal, com tantas mudanças no comportamento do consumidor, influenciadas pela presença tecnológica e os avanços nos meios de comunicação, é preciso se reinventar a cada dia para atender às novas demandas e garantir uma posição competitiva no mercado.

Por isso, neste conteúdo abordaremos um dos conceitos que tem atingido ótimos resultados nos últimos anos por focar na otimização das vendas das marcas: o remarketing. Acompanhe a leitura para entender o que é e qual a sua importância.

O que é remarketing?

De forma simplificada, como consta no próprio termo, remarketing é o ato de utilizar uma estratégia de marketing — previamente aplicada — com um mesmo consumidor/público. A finalidade é causar a mesma impressão positiva, gerada em alguém que já demonstrou interesse na solução oferecida pela marca.

Na prática, o remarketing é implementado por meio de ações e campanhas nas mídias digitais, como e-mails destinados a reativar contatos da base de clientes que estão inativos, incentivando-os a retornarem à jornada de compras e tomarem alguma decisão.

Portanto, essa tática pode ser utilizada em diferentes situações, desde um simples aviso de que há uma promoção no site que possa interessar o cliente em questão, até um e-mail mais específico alertando sobre itens que foram colocados no carrinho de compras (e esquecidos).

Como o remarketing funciona?

Em geral, ações e campanhas de remarketing são realizadas com o uso do Google Adwords. Muitos profissionais utilizam a plataforma para dar o primeiro passo, adicionando uma tag específica no aplicativo ou no site da empresa. Já no Facebook, é feito um trabalho de instalação de pixel para que, posteriormente, sejam criadas as listas de contatos para remarketing.

Qual a importância do remarketing para o aumento de conversões no âmbito digital?

Em primeiro lugar, como já foi dito, a intenção do remarketing é aumentar o número de conversões. Para isso, ele parte de um pressuposto simples: o consumidor raramente concretiza uma compra na primeira pesquisa.

Para que você tenha uma ideia, somente 3% dos visitantes de uma loja virtual fazem essa conversão imediata, de acordo com informações coletadas pelo Google Adwords. Essa porcentagem pode ser ainda menor quando se tratam de transações complexas, como as que exigem que um orçamento seja solicitado, por exemplo.

Você deve estar se perguntando “o que é remarketing no meio disso tudo?”, correto? Pois bem! O papel dele é fazer com que o consumidor tenha mais intimidade e proximidade com a marca por meio de mensagens personalizadas, seja por e-mail, seja pelo Facebook (ou outras mídias).

Desse modo, o usuário se lembrará da oferta e continuará ponderando a possibilidade de concluir a compra. Ou seja, terá cada vez mais convicção de que fechar o negócio vale a pena.

É comum que os profissionais de marketing atribuam o remarketing a uma vertente do follow up, mas mais direcionada ao universo do Marketing Digital, e eles não estão errados.

Para que você tenha uma perspectiva ainda mais precisa sobre a importância do remarketing, segundo um relatório de personalização de Marketing da AgilOne:

  • 41% dos consumidores entre 25 e 34 anos valorizam e-mails relacionados a abandonos de carrinhos de compra;
  • 51% dos usuários dizem que gostam de receber e-mails personalizados e tratamento especial;
  • 58% dos consumidores gostam de receber e-mails de notificação sobre produtos ou serviços que eles visitaram (quando estes estão em liquidação).

Além disso, as chances de engajamento com um lead são reduzidas a 10%, caso as ações de follow up sejam realizadas mais de uma hora após a interação inicial no e-commerce, de acordo com um levantamento do MIT.

Como são feitas as campanhas de remarketing?

Como falar sobre o que é remarketing sem mencionar as maneiras de realizar uma campanha, não é verdade? Existem três maneiras prioritárias de executar suas estratégias: rede de pesquisa do Google, Facebook e rede de display.

Abaixo, mostraremos separadamente como aplicar em cada uma das plataformas:

Rede de Display

Você já teve contato com anúncios gráficos ou banners que aparecem em sites enquanto navega pela internet? Pois bem, eles integram o que conhecemos como “rede de display do Google”. Esse recurso faz com que anúncios de milhares de sites parceiros sejam exibidos em páginas relacionadas a um determinado tema.

Nesse modelo, o anunciante pode escolher a forma como deseja pagar pela veiculação. Isto é, de acordo com o número de vezes que ele é exibido ou pelo número de cliques. Além do mais, há uma tendência maior de os anúncios da rede de display serem interativos, chamando mais a atenção dos usuários.

Rede de Pesquisa

Os anúncios realizados por intermédio da rede de pesquisa, diferentemente do display, são exibidos na página de resultados do Google. Desse modo, o usuário recebe conteúdos explícitos em outras ferramentas da empresa — Google Shopping, Google Maps, etc — além da própria página de pesquisa. Sem mencionar os inúmeros sites parceiros que fazem parte da rede.

A maior vantagem desse formato é que as taxas de conversão dos anúncios tendem a ser mais altas, pelo fato de que aparecerão sempre que um determinado produto ou serviço tiver relação com as keywords que o usuário usa para sanar suas dúvidas ou problemas.

Facebook

Com certeza você já se deparou com um número grande de anúncios patrocinados enquanto acessava o feed do Facebook, certo? Essa é uma estratégia parecida com a rede de display, pois além de serem peças mais criativas, permitem interação, o que é ótimo para aumentar os resultados das marcas, não importa o porte da empresa.

Afinal, a rede social conta com mais de 2 bilhões de usuários pelo mundo. Por isso, é mais fácil impactar sua audiência de maneira segmentada e acessível.

Como você pôde conferir neste artigo sobre o que é remarketing, a estratégia consiste, basicamente, em utilizar ações e campanhas direcionadas a consumidores que já demonstraram algum tipo de interesse por um determinado produto ou serviço. A finalidade é semelhante à do follow up, porém, atua de maneira mais segmentada e específica.

Tem alguma dúvida sobre o assunto que não foi abordada no post? Quer saber mais sobre como podemos ajudar o seu negócio com estratégias de marketing? Então, entre em contato conosco agora mesmo!

Powered by Rock Convert
E-Book Manual do Email MarketingPowered by Rock Convert
Ferramentas de Conversão do Marketing DigitalPowered by Rock Convert