Você sabe mesmo o que é e qual é o core business do seu negócio?

Quem nunca ouviu falar no Google? Considerada como a mais importante empresa de tecnologia da atualidade, essa grande marca pode nos ajudar a entender o que é core business. Com diversos tipos de negócios ativos, desde o desenvolvimento de veículos autônomos até a construção de usinas de energia solar, o gigante das buscas trabalha todos os seus empreendimentos em torno dos seus principais serviços: seu mecanismo de pesquisa e seu sistema de publicidade online.

Assim, podemos dizer que o core business, ou o ponto forte da companhia, é aquilo que ela realiza essencialmente e a define no mercado, a razão que faz com que a empresa exista. O core de uma pizzaria é vender pizzas, o de uma financeira é aplicar recursos de terceiros e o de um banco é emprestar dinheiro. Ou seja, o core business é a atividade principal de uma empresa, é aquilo que ela faz de mais relevante.

Mas o assunto não para por aí, existem algumas estratégias que podem ajudar você a definir o core business do seu negócio. Neste artigo, você entenderá o que, de fato, esse conceito representa e a sua importância para o direcionamento das estratégias de marketing. Continue a leitura e confira!

Qual é a diferença entre core business e core competence?

Toda organização tem (ou pelos menos deveria ter) as suas competências, isto é, as áreas nas quais ela executa algo com maestria, seja na qualidade do produto e serviço, seja no atendimento diferenciado. Essas competências são cruciais para a manutenção e o desempenho da empresa, principalmente no momento de destacá-la da concorrência.

Tais competências são as chamadas core business e core competence, mas há uma diferença central entre os dois termos. O core business, como já mencionamos, é a principal atividade de uma empresa, aquilo que a define. Já o core competence é a atividade que a companhia faz de melhor, aquilo que a torna uma das principais referências ou a líder do seu mercado.

Por exemplo: enquanto o core business da Fiat e da Volvo é a venda de carros, o core compentence da primeira marca tem ligação com a inteligência na logística e o contato com os fornecedores ideais para entregar. Isso porque uma das core competence é oferecer carros a preços populares. Enquanto isso, a Volvo produz os carros mais seguros do mundo, com excelente desempenho do motor. Afinal, seu core competence está ligado à satisfação do cliente.

Podemos entender o core business como uma função derivada do core competence. O primeiro indica os processos-chave da organização, e o segundo sinaliza uma clara vantagem competitiva para o negócio. Já no processo de descoberta, a ordem é diferente, primeiro você precisa entender o core competence, para então ter dados a fim de definir o core business.

Por que o core business é fundamental?

O core business é o principal instrumento para geração de valor em um empreendimento. Isso significa que quanto mais se investe nessa função específica, maior o valor gerado para a marca e para a empresa.

É por isso que todas as demais áreas de uma organização geralmente conferem apoio a essa atividade central. As estratégias de marketing e gestão também se concentram nela. Uma das melhores estratégias de crescimento de um negócio é pela sua geração de valor. O que pode acontecer, inclusive, é trabalhar um reposicionamento de marca de acordo com o core business para impulsionar os resultados.

Outro ponto importante é que, uma vez definido seu core business, uma empresa tem maior clareza sobre quais das ações desempenhadas são prioridades. Da mesma forma, ela passa a entender quais ações podem ser terceirizada ou até canceladas para criar processos mais enxutos e otimizar os resultados.

Um bom exemplo disso foi observado no retorno de Steve Jobs à Apple em 1997, quando a empresa enfrentava uma séria crise administrativa e seu valor de mercado despencava. Ao assumir o cargo de CEO, Jobs encerrou diversas linhas de produção para mirar todas as atenções no iMac, o core business da companhia na época.

A empresa voltou a trabalhar em outros produtos, como o iPod e o iPhone, somente após garantir o sucesso do seu core atual, restabelecendo-se no mercado e também financeiramente.

Quais são os riscos de perder o foco no core business?

Se você já conhece o poder do foco, sabe que se concentrar em uma atividade por vez potencializa o desempenho das atividades. Não há como uma empresa ser a melhor em tudo. Nem mesmo os grandes players do mercado, como o Google e a Amazon, são capazes de tamanha façanha. É justamente por isso que as ações de uma companhia se concentram nas áreas mais determinantes para o seu sucesso.

A perda de objetividade e clareza ou a definição equivocada do seu core business podem ser fatais para um empreendimento. Um dos maiores exemplos é a Kodak que, embora tenha se mantido como líder no mercado de fotografia por muitos anos, não conseguiu se adequar à transformação digital antes que outras companhias firmassem seu espaço.

A Kodak talvez pudesse ter triunfado caso a empresa tomasse como seu core business o registro de momentos importantes independentemente do formato e do recurso utilizado, em vez da revelação de filmes analógicos.

Com base nesse conhecimento, podemos constatar que entender o que é o core business de um negócio é imprescindível para o desempenho e a saúde de um serviço ou produto no mercado. Ainda mais nos dias de hoje, em que o consumidor é conectado e consciente e surgem novidades no mercado o tempo todo, deixando dispositivos, processos e, às vezes, até mercados obsoletos.

Como definir o core business de um negócio?

Definir o core business da sua empresa é importante não só para orientar a gestão e as estratégias de comunicação, mas também para estabelecer uma identidade organizacional com missão, visão e valores do negócio. Assim, você estimula seus colaboradores a se alinharem ao que é fundamental, tomando decisões mais acertadas e eficientes, contribuindo para o sucesso.

Essencialmente, identificar o core business é um exercício de autoconhecimento para a organização. Para realizá-lo, é necessário tomar como base alguns pontos importantes. É preciso responder algumas perguntas e refletir sobre elas. Veja a seguir.

O que a sua empresa faz?

Se você precisasse responder essa pergunta em apenas uma frase, como definiria a atividade ou a principal solução oferecida pela sua empresa? Saber qual é o produto ou serviço central da sua organização é um ótimo ponto de partida. Para ajudar nessa parte, você pode:

  • listar todo o seu mix de produtos e serviços;
  • fazer um recorte dos 10 mais importantes (caso tenha poucos produtos, pode destacar apenas 2 ou 3);
  • observar o que existe em comum entre os selecionados.

Quais são os seus diferenciais?

Caso você ainda não tenha conseguido uma dica pelos produtos, o core business pode estar relacionado aos diferenciais da sua marca. Tenha atenção: somente quando esses valores realmente fazem parte do eixo central da empresa e representam uma inovação importante no segmento no qual ela atua, você pode usar esse caminho.

Não adianta para uma marca de calçados definir seu core business como exclusividade e responsabilidade ambiental, se ela mantém uma linha de produção, não se importa com a origem da matéria-prima e se destaca pelo preço baixo dos produtos.

Quais são os seus clientes?

Quem mais agrega valor para a sua empresa? Perceba que o valor não significa necessariamente faturamento. Uma corporação pode levantar dinheiro de atividades paralelas para financiar um empreendimento que só trará retorno no longo prazo.

É preciso entender quem é a sua buyer persona, estudá-la e descobrir quais são os serviços ou produtos que esse perfil de consumidor costuma contratar na sua companhia. Assim, você pode ter uma excelente dica para descobrir o core business ou mesmo um dado importante para confirmar as informações que você levantou com as atividades da empresa e seus diferenciais.

Quais são os seus stakeholders?

Os stakeholders são todos os indivíduos, ações e investimentos de interesse para uma empresa. Enfim, todos os públicos que estão ligados à sua marca. Conhecer as pessoas e as organizações que são influenciadas pelas atividades do seu negócio é uma boa forma de compreender a importância que ele representa para o mercado.

Além disso, esse estudo pode apresentar:

  • o posicionamento da empresa no mercado;
  • os diferenciais capazes de destacar a marca;
  • para onde seus colaboradores estão olhando e como eles percebem as propostas oferecidas;
  • como seus fornecedores se relacionam com a organização.

Quais são os seus pontos de venda?

Existem negócios que são 100% digitais. Para aqueles que têm um ponto físico, é possível usar esse elemento para ajudar na definição do core business. Caso a localização ou a apresentação dos pontos de venda sejam fundamentais na definição de valor do negócio, eles também podem ser usados para definir a sua atividade central. Alguns bares e restaurantes, por exemplo, garantem seu público devido à sua temática ou à própria decoração.

Observe se sua apresentação é mais conceitual, como um showroom, que transmite valores e conceitos para o público, ou se o objetivo é colocar os produtos em exposição, destacando as opções e os preços. Nessa vitrine, que é o seu PDV ou ponto de vendas, a empresa intuitivamente destaca aquilo que percebe como central.

Por fim, entender o que é core business e o seu papel na administração de empresas nos ajuda a compreender a importância do foco nos negócios e como a geração de valor é essencial para o progresso dos mais diversos tipos de empreendimento. Isso também é vital para que o desenvolvimento de campanhas publicitárias e o planejamento das ações de marketing sejam mais eficazes.

Este post fica por aqui. Se ainda ficou alguma dúvida, é só deixar nos comentários que responderemos com prazer!