Vídeo marketing: domine esse conceito com este post completo

Ninguém precisa ser um usuário assíduo das mídias digitais para perceber que o vídeo marketing é a grande tendência do momento. Ainda assim, você já parou para pensar por que os vídeos online fazem tanto sucesso e deveriam entrar no seu planejamento de mídia?

É inegável: todos somos atraídos por conteúdos audiovisuais. O império do cinema e das emissoras de TV estão aí para nos provar isso, mas é claro que esse assunto vai mais longe. De acordo com a psicóloga e escritora Susan Weinschenk, esse fenômeno se deve a uma junção de diversos fatores, como o uso da voz, a atenção que entregamos para rostos e coisas em movimento e, principalmente, a nossa tendência natural à empatia.

As grandes plataformas digitais, sobretudo, o YouTube, Facebook e Instagram, estão desconstruindo a supremacia da televisão e têm aberto espaço para a liberdade e autonomia da internet. Os vídeos online já contam com uma audiência mensal de mais de 160 milhões de brasileiros e, nos Estados Unidos, eles já atingem mais jovens do que qualquer canal de TV por assinatura.

Mas este artigo não é sobre a (já acirrada) disputa entre a internet e a TV, e sim sobre como você pode se beneficiar dessa nova era em que o vídeo marketing ganha cada vez mais espaço nas estratégias de comunicação.

Quer descobrir tudo (tudo mesmo) que o vídeo marketing pode fazer pelo seu negócio? Então, “dê um play” na leitura, pois, neste post completo, você vai entender tudo sobre a estratégia que está conquistando o mundo!

O que é o vídeo marketing

Em poucas palavras, podemos definir o vídeo marketing como o uso de vídeos para promover uma marca, produto ou serviço. Os vídeos podem ser usados de diversas formas, seja para a apresentação de um produto e campanhas institucionais, seja para produção de materiais em massa dentro de estratégias de marketing de conteúdo.

Embora o público potencial seja expressivo, o vídeo marketing ainda é utilizado de maneira modesta no Brasil e pode servir como um diferencial importante nas ações de comunicação de uma empresa.

Trazendo o conceito à prática, precisamos “quebrá-lo” em duas abordagens diferentes para entender melhor as possibilidades. Existe uma diferença quando fazemos o “marketing usando vídeo” e quando o “marketing é vídeo”. Veja só.

Marketing usando vídeo

O vídeo marketing pode ser usado para apresentar um produto ou serviço com mais clareza ao consumidor final, assim como as propostas de uma empresa. Cabem nesse modelo os vídeos explicativos, os vídeos de venda, comparação e os institucionais.

Quando o uso do conteúdo em vídeo não ocupa um eixo central na estratégia, estamos fazendo “marketing usando vídeo”. Ou seja, o vídeo tem um caráter mais promocional (4 P’s do Marketing) e serve para dar suporte às ações desenvolvidas.

Marketing é vídeo

Nesse caso, os vídeos são o coração da estratégia de marketing. Podemos citar os vídeos virais nesse caso, mas o melhor exemplo são os canais corporativos no YouTube. Esses canais são alimentados constantemente com materiais inéditos e buscam atrair audiência, criar autoridade e trazer reconhecimento para a marca.

Dentro dessa abordagem, os conteúdos audiovisuais são os principais disseminadores de informação, geração de leads e vendas. Portanto, tal como um blog, eles precisam trabalhar o seu público-alvo e produzir novas peças periodicamente.

Estatísticas que provam o poder do vídeo marketing

Os vídeos não são exatamente uma novidade, e o marketing muito menos, no entanto, o que deu força para o vídeo marketing nos últimos anos foi o enorme volume de tráfego direcionado para esse tipo de conteúdo. Segundo pesquisa realizada pela companhia americana Cisco, mais de 73% do tráfego na internet está relacionado ao consumo de vídeos e a expectativa é que, em 2020, esse número ultrapasse os 80%!

Mas nem pense que os dados param por aí. Confira algumas das principais e mais recentes estatísticas sobre o vídeo marketing:

  • os vídeos podem aumentar o alcance de uma marca em até 54% (2018, OptinMonster);
  • os vídeos geram 66% a mais de leads qualificados (2018, OptinMonster);
  • as empresas que adotam o vídeo marketing em suas ações geram uma receita 49% maior do que as que não o utilizam (2018, WordStream);
  • as pessoas podem reter até 95% das informações apresentadas em um vídeo e apenas 10% em conteúdos textuais (2018, WordStream);
  • 46% dos usuários realizam uma ação após assistir um vídeo (2018, WordStream);
  • os vídeos podem aumentar em 157% o tráfego gerado a partir dos mecanismos de busca (2018, WordStream);
  • os vídeos geram 1200% de compartilhamentos a mais nas redes sociais do que imagens e textos juntos (2018, WordStream);
  • a combinação entre anúncios e vídeos aumenta o engajamento em até 22% (2018, WordStream);
  • são assistidas 1 bilhão de horas de vídeo no YouTube todos os dias (2017, YouTube);
  • a cada minuto, são upadas 72 horas de vídeo no YouTube (2017, YouTube).

Se esses dados ainda não te convenceram, não se preocupe, pois ainda vamos apresentar vários outros ao longo deste conteúdo.

Formatos e ideias para vídeos

Os três formatos de vídeos mais consumidos atualmente são os depoimentos (51%), os tutoriais (50%) e as demonstrações de produtos (49%), de acordo com a Curata Marketing Statistics, mas esses formatos são apenas o topo do iceberg.

O vídeo marketing é um verdadeiro oceano de possibilidades. Por isso, para ficar mais fácil, listamos os principais tipos de vídeo que você pode utilizar para criar uma estratégia de respeito. Confira!

1. Vídeos demonstrativos

A proposta desse tipo de vídeo é demonstrar como seu produto funciona. Pode ser uma análise, teste de um produto físico e até mesmo uma visita ao seu software ou plataforma online, em que você pode apresentar os recursos e possibilidades da sua ferramenta.

2. Vídeos de marca (Brand Videos)

Esse modelo de vídeo é focado em apresentar a história, missão, diferenciais e, principalmente, o tom de voz da sua marca. Os vídeos de marca não são apenas conteúdos institucionais, e também podem ser usados para atrelar alguma ideia a um produto.

3. Vídeos de evento

Os eventos empresariais estão em alta e a maioria deles não só gera um alto valor e impacto no público de uma organização, como também oferece um prato cheio de conteúdos audiovisuais, tais como palestras, premiações e mesas redondas.

4. Entrevistas

As entrevistas são um formato de conteúdo que sempre deu certo na TV e reproduzem o mesmo sucesso nos vídeos online. Convidar especialistas ou líderes da empresa para discutir temas relevantes para seu público é uma receita certa para criar audiência.

5. Vídeo educativos ou “How to”

Quem nunca precisou de um vídeo instrucional para aprender preparar uma receita ou fazer um pequeno reparo em casa? Esse modelo de conteúdo “How to” (ou “como fazer”) está entre os modelos de vídeo marketing mais populares em toda a internet e pode ser usado em qualquer temática.

6. Vídeos explicativos

Diferente dos vídeos educativos, a proposta do vídeo explicativo é ajudar o seu público a entender as soluções que o seu negócio oferece e as razões que justificam o investimento. Alguns desses vídeos reproduzem uma jornada fictícia da persona, desde a constatação do problema até a compra e solução.

7. Vídeos animados

As animações corporativas estão em alta, sobretudo, porque são muito práticas de produzir e conseguem entregar uma informação divertida e didática para a audiência. Várias empresas já oferecem esse tipo de serviço por um preço acessível para organizações que não contam com um time próprio de criação e edição.

8. Vídeos ao vivo

As transmissões ao vivo pela internet ainda enfrentam algumas limitações técnicas dentro das plataformas, mas o seu poder de engajamento certamente compensa esses pequenos transtornos. As pessoas gastam até 8,1 vezes mais com vídeos ao vivo do que com os publicados sob demanda.

Workshops e entrevistas abertas, nas quais os usuários podem interagir fazendo comentários e perguntas, são os modelos de maior sucesso.

9. Vídeos 360º e realidade virtual (VR)

Novas modalidades de gravação, como os vídeos 360º e a Realidade Virtual, estão cada dia mais acessíveis e criam uma experiência real para o usuário que, literalmente, mergulha no conteúdo.

É mais efetivo, no entanto, quando usado para oferecer ao espectador a possibilidade de explorar um local ou evento. Entretanto, a experiência só é mesmo efetiva com dispositivos específicos.

10. Vídeos de realidade aumentada (AR)

Com uma camada digital adicionada a imagens reais de um objeto ou espaço, a Realidade Aumentada oferece uma nova maneira de experimentar produtos. Com a AR você pode testar cores diferentes para a faixada da sua casa simplesmente apontando o seu celular, assim como experimentar roupas novas sem precisar se dar ao trabalho de se trocar.

11. Mensagens personalizadas

Oferecer conteúdos e soluções altamente personalizadas é a nova ambição do marketing que se beneficia de softwares e bancos de dados para conhecer detalhadamente cada indivíduo dentro do seu público.

Essa é uma boa tática, inclusive, para trabalhar a humanização da marca. Responder a e-mails ou realizar convites por meio de vídeos personalizados é uma ótima maneira de tornar o relacionamento com a audiência mais próximo.

12. Cases e depoimentos

Poucas estratégias no marketing são tão persuasivas como a boa e velha prova social. Todos nós queremos saber o que os clientes pensam sobre um produto antes de comprá-lo. E se essa “prova” já provoca um efeito enorme apenas com comentários no fim da página, imagine quão poderosa ela pode ser com os vídeos!

Como fazer uma estratégia de vídeo marketing

O vídeo marketing é um dos tipos de marketing mais versáteis. Embora seja extremamente eficaz para aumentar o reconhecimento de uma marca, ele também pode ocupar todas as outras etapas do processo de compra.

Você já pode começar a incorporar os vídeos em suas campanhas utilizando-os em páginas de destino, uma prática que pode aumentar as taxas de conversão em 80%, assim como mencionar a palavra “vídeo” no assunto dos seus e-mails, um simples detalhe capaz de aumentar as taxas de abertura em 19%.

Mas, antes de sair comprando câmera, decorando estúdio ou gravando qualquer coisa, precisamos de um plano. Afinal, o objetivo não é apenas produzir vídeos — queremos fazer vídeo marketing! Portanto, antes de botar a mão na massa, é preciso caprichar no planejamento. É aqui onde o marketing realmente acontece.

  • qual é o seu público-alvo e persona? Com quem você está se comunicando, onde essas pessoas estão e o que elas pesquisam (palavras-chave)? O público é o papel-chave na definição das plataformas adotadas, na linguagem utilizada, no formato escolhido para os vídeos e, principalmente, na escolha dos temas abordados;
  • qual o seu objetivo? Você deseja trabalhar a imagem da sua marca, lançar um novo produto ou melhorar a percepção dos seus serviços? Definir o objetivo é fundamental para traçar a jornada que seu cliente cruzará ou, em termos mais práticos, as ações que ele deverá tomar após assistir aos vídeos;
  • qual será o cronograma? Quando você disponibilizará os vídeos e quanto tempo terá para produzi-los? Um cronograma eficiente também deve considerar datas comemorativas e momentos favoráveis para a promoção de conteúdos e produtos;
  • como será a produção dos vídeos? Sua empresa conta uma equipe interna para trabalhar o vídeo marketing ou será necessário contar com ajuda externa? Qual o orçamento disponível para a estratégia?

Definidos os alicerces do seu vídeo marketing, é hora da parte preferida de qualquer profissional de comunicação: a criação!

A arte de criar vídeos de sucesso

Tudo bem, a internet está repleta de vídeos improvisados viralizando. Mas não se deixe enganar, pois até mesmo os vídeos de gatinhos podem esconder um ótimo roteiro. E, com certeza, ninguém vai querer expor a sua marca dando tiros no escuro, não é? Resumindo: você precisa de um script!

Esse cuidado inicial não apenas alinha toda a equipe de arte de acordo com os objetivos de cada peça produzida, como também evita perdas de tempo com cortes e edições excessivas. Inclusive, não se preocupe em criar um ambiente cinematográfico (a não ser que esse seja o seu negócio, claro) — a simplicidade também pode ser usada a seu favor. O que não pode faltar é a criatividade.

1. Criação

Traga os temas de interesse do seu público e as palavras-chave mais importantes definidas na fase de estudo para a mesa. A criação pode começar pelo velho brainstorm, mas, para que ele seja realmente efetivo, é preciso reunir o máximo de informações disponíveis, afinal, a nossa criatividade é combinativa e, quanto mais “peças” para combinar, melhor!

Outra maneira de elaborar conteúdos é trazer o seu público para a discussão. Se a sua empresa já conta uma audiência, não precisa se sentir constrangido por pedir sugestões em comentários ou formulários. Essa prática, inclusive, favorece os laços entre sua marca e o público, uma vez que as pessoas se sentem inseridas no processo.

2. Video SEO

SEO (Search Engine Optimization) é o nosso grande aliado na hora posicionar conteúdos nas buscas orgânicas e não há como os vídeos não entrarem nessa história. O Vídeo SEO nada mais é do que o conjunto de práticas para favorecer o posicionamento de vídeos nos rankings de pesquisas do YouTube, Google e outros.

As recomendações, em geral, são parecidas com as configurações para textos e envolvem a produção de conteúdo relevante, planejamento de palavras-chave e títulos atraentes, por exemplo.

3. Script

Canais corporativos do YouTube costumam adotar roteiros muito rígidos em seus vídeos, mas isso não é uma regra. A recomendação, inclusive, é que a comunicação seja a mais natural possível, uma vez que queremos despertar empatia no espectador.

Outro ponto importante é a linguagem. É comum empresas criarem vídeos para seus blog posts, uma estratégia que funciona muito bem, porém, é bom atentar para as diferenças do conteúdo escrito para o audiovisual. O texto costuma ser mais formal e lapidado, enquanto o discurso direto tolera mais contrações e expressões informais. De qualquer forma, tudo dependerá do perfil do público.

O poder do vídeo na jornada de compra

Os vídeos podem ser grandes aliados da sua estratégia de Inbound Marketing, se não as estrelas principais do seu funil de vendas. Porém, assim como acontece com os textos, os vídeos precisam ser pensados de acordo com cada etapa da jornada de compra.

1. Topo de funil

Tudo começa com uma descoberta. Nessa primeira fase do funil, também chamada de “Atração”, o seu futuro cliente está desconfiado, porém, prestes a descobrir que tem um problema. Sendo assim, os vídeos produzidos nessa etapa precisam chamar a atenção das pessoas para as necessidades que elas talvez nem saibam que tem.

É nessa etapa que o público tem o primeiro contato com a marca e os formatos mais indicados são:

  • webinar, os seminários online;
  • vídeos virais, capazes de gerar ampla repercussão, mas exigem um planejamento cuidadoso;
  • vídeos de perguntas e respostas, cujo objetivo é tirar dúvidas da audiência (pode ser ao vivo ou não);
  • vídeos explicativos, com foco em explicar alguns conceitos e tópicos relevantes de forma leve. Uma dica aqui é produzir conteúdos para micromomentos.

2. Meio de funil

No meio da jornada, o seu potencial cliente já sabe que tem um problema e está pesquisando soluções para isso. Nessa etapa do funil de vendas, também chamada de “Consideração”, o ideal é optar por vídeos que eduquem a audiência e a direcionem para a proposta da sua empresa. Os melhores formatos para essa etapa são:

  • vídeos demonstrativos, usados para ilustrar as características, funcionalidades ou possíveis resultados do seu produto ou serviço;
  • comerciais, o vídeo publicitário tradicional que pode ser usado nessa etapa;
  • faça você mesmo, usado para ensinar o seu cliente a resolver um problema, porém, ilustrando a utilidade e o valor do que você oferece;
  • reviews ou vídeos de análise de um produto ou serviço;
  • tutoriais ensinando a utilizar uma plataforma ou montar um produto, por exemplo.

3. Fundo de funil

É chegada a hora do empurrãozinho final para converter o seu potencial cliente em um cliente, de fato. O foco dessa etapa, também chamada de “Decisão”, é sanar todas as eventuais dúvidas que possam existir a respeito do seu produto e também reforçar as vantagens e diferenciais da sua marca.

Nessa etapa, não é preciso medir palavras para falar sobre seu negócio. Os formatos de vídeos recomendados são:

  • vídeos institucionais, nos quais você tem a oportunidade de revelar a sua empresa para o público;
  • depoimentos, seja de clientes, seja de profissionais respeitados da organização;
  • FAQ ou perguntas frequentes;
  • cases de sucesso.

Cases de vídeo marketing

Não poderíamos deixar de apresentar alguns cases famosos para inspirar a sua estratégia, não é verdade? Confira algumas campanhas de sucesso no Brasil!

O jantar da vingança

O Reclame Aqui é um dos sites de reclamação mais bem-sucedidos do país e, em 2016, decidiu usar o marketing viral para dar um gostinho de vingança para sua audiência de consumidores insatisfeitos.

A equipe do site convidou executivos de empresas recordistas em reclamações para um jantar pra lá de “especial”. Com atraso nos pedidos, comida servida fria, garçons desatentos e muito mais, o Reclame Aqui fez os empresários provarem do próprio veneno e reconhecerem os incômodos de um mau atendimento.

Endeavor Brasil

A Endeavor é uma das mais prestigiadas organizações de apoio a empresas em todo o mundo e seu canal brasileiro no YouTube é uma verdadeira aula de vídeo marketing.

O canal conta com uma variedade enorme de conteúdos voltados para a inovação e empreendedorismo, como entrevistas com especialistas e executivos, eventos, palestras, aulas e muito mais. Tudo produzido com uma qualidade impecável!

OLX Brasil

Para firmar seu espaço no Brasil, o site de vendas OLX optou por uma campanha crossmedia. Pensando no atual consumidor multitelas, a empresa apostou na veiculação de pequenos vídeos de 30 segundos na TV e na internet.

O sucesso foi tanto que o canal da empresa, com apenas sete vídeos de 30 segundos na época, alcançou o número de 18 milhões de visualizações em poucos meses.

Vídeo marketing trends: o que vem por aí

Sim, temos mais estatísticas para você. Até então, porém, focamos o presente, os resultados que o vídeo marketing já está garantindo nos dias de hoje. Agora, é hora de analisarmos as novas tendências e expectativas que esse modelo de comunicação pode apresentar nos próximos anos. Veja só:

  • 85% das pessoas declararam que gostariam de assistir a mais vídeos em 2018 (2017, State of Video Marketing);
  • 99% das organizações que já adotavam o vídeo marketing pretendem manter a estratégia no ano seguinte (2017, State of Video Marketing)
  • 78% dos profissionais de marketing acreditam que o vídeo marketing apresenta um bom ROI (2017, State of Video Marketing);
  • 76% dos profissionais de marketing declararam que os vídeos aumentam o número de vendas (2017, State of Video Marketing);
  • a produção de vídeos corporativos cresceu 99% no YouTube e 258% no Facebook entre 2016 e 2017 (2017, DealMaker);
  • o YouTube é utilizado por 87% dos profissionais de marketing (2017, YouTube);
  • o consumo de vídeos por dispositivos móveis cresce 100% ao ano (2017, HubSpot);
  • a visualização de vídeos em dispositivos móveis já representa mais da metade do total de acessos (2018, WordStream).

Esses e tantos outros dados que você conferiu ao longo deste nosso artigo não deixam dúvidas: o vídeo marketing veio para ficar e nunca houve oportunidade melhor para implementá-lo em suas estratégias! Em outras palavras, se você não está produzindo vídeos, está ficando para trás.

Quer obter o máximo de retorno em seus investimentos em marketing? Então, conheça o Marketing de Resultados, o nosso e-book gratuito que vai te ajudar a impulsionar os rendimentos do seu negócio!

Powered by Rock Convert