Share of mind, share of heart e share of voice: entenda as diferenças

Que empresa não sonha em ter sua marca na mente e na boca do seu público? Share of mind, share of heart e share of voice são conceitos e indicadores criados justamente para medir o quanto uma companhia, produto ou serviço surge espontaneamente nas lembranças e opinião dos clientes.

Quando uma marca é capaz de oferecer uma solução altamente eficiente, marcante e memorável, ela se torna a solução no pensamento das pessoas. No entanto, se chamar a atenção das pessoas hoje é difícil, certamente conseguir uma vaga na cabeça agitada dos consumidores modernos está longe de ser uma tarefa fácil.

Nem mesmo o ranking de pesquisa do Google é tão disputado como esses indicadores, mas não é impossível conquistá-los, e existem diversas maneiras de se chegar lá. Mas antes de falar sobre isso, vamos entender as diferenças de share of mind, heart e voice, afinal é por isso que você chegou até aqui, não é mesmo? Acompanhe!

O que é share of mind?

Vamos fazer um teste? Pense em um perfume: qual marca veio à sua cabeça? E que tal um sabonete, leite ou remédio para dor de cabeça? Qual a primeira imagem, logotipo ou jingle surge nos seus pensamentos? E se pensar mais um pouquinho, quais outras marcas aparecem também?

É exatamente sobre isso que se trata o share of mind: identificar e medir o quanto as pessoas pensam sobre as empresas dentro de uma categoria de serviço ou mercadoria.

Se ao comprar um tipo de produto, por exemplo, um grupo de pessoas, em sua maioria, pensa em uma determinada marca e não em outra, dizemos que essa possui o maior share of mind (maior participação nas lembranças das pessoas).

Aqui também cabe um outro conceito: o top of mind. Neste caso, o que levamos em consideração é a ordem com que as marcas surgem na memória das pessoas. A empresa, serviço ou produto que mais surge como a primeira opção na mente das pessoas é considerada a top of mind.

O que é share of heart?

Baseando-se no share of mind, poderíamos dizer que não basta apenas estar na mente do consumidor, mas também em seu coração, como o termo propriamente diz. O share of heart, portanto, é a sensação e a experiência afetiva que uma marca desperta nas pessoas.

Na prática, esse indicador qualitativo estimula empresas a associarem seus serviços ou produtos a conceitos, ideias e valores. Quando uma marca apresenta uma imagem positiva, é reconhecida, respeitada, elogiada e mais requisitada que outras dizemos que ela possui um alto share of heart (está mais presente no coração das pessoas).

Se trata, portanto, de literalmente conquistar o cliente e estabelecer um vínculo emocional. A empresa que consegue atingir seu público dessa forma torna seus consumidores verdadeiros militantes da marca, dispostos a defender e divulgar seu trabalho de maneira fiel.

O que é share of voice?

Embora já seja utilizado há muitas décadas em estratégias de comunicação, foi recentemente que esse conceito ganhou uma maior relevância com as estratégias de marketing digital e a disputa pelo bom posicionamento no Google. Basicamente, o share of voice diz respeito à fração do público que uma empresa atinge dentro de um nicho.

É uma espécie de combinação de brand awareness (nível de consciência da marca), preferências de consumo, presença em conversas e discussões da área e potencial de influência da marca no setor. E todo esses dados revelam o impacto que uma empresa gera em seu público-alvo.

Se o que você vende é pouco relevante em relação às ofertas da concorrência, provavelmente os resultados das suas ações são rasos e pouco interferem no mercado e no comportamento do seu público. O share of voice, portanto, é sua voz dentro do mercado e quanto mais alta ela for, mais pessoas atingirá e influenciará, assim como a notoriedade e o respeito à marca serão beneficiados.

Como trabalhar o share of mind, heart e voice?

Pensando no share of mind, o objetivo dos profissionais de marketing e publicidade é encontrar e trabalhar ideias, recursos e estratégias para que as marcas se tornem memoráveis. Grandes empresas costumam fazer isso atrelando o produto a uma celebridade ou criando jargões e jingles marcantes, mas pequenas ações locais também podem gerar bons resultados, como promoção de eventos e patrocínios.

Já no share of heart o que conta é o envolvimento, a empresa deve servir de exemplo e inspiração para o público adicionando valores à vida das pessoas. Ações sociais, campanhas de conscientização, processos ecologicamente corretos e humanização da marca contribuem para uma percepção positiva.

Sendo o share of voice a porção do público que um produto, serviço ou marca atinge, certamente os esforços em prol do share of mind e share of heart contribuirão para aumentar o alcance de uma empresa, assim como a própria indicação e menção dos seus clientes.

No marketing digital, o Inbound Marketing é uma estratégia que merece destaque. Apesar de representar um esforço de longo prazo, a produção constante de conteúdos relacionados a uma marca é uma maneira brilhante e eficiente de atrair públicos muito específicos, criar envolvimento e se tornar uma referência para essas pessoas dentro do seu nicho.

Esses objetivos são viáveis para empresas menores?

Conceitos como share of mind, top of mind, share of heart e share of voice sempre foram alvo de campanhas milionárias promovidas por grandes corporações, algumas tão bem sucedidas que continuaram influenciando pessoas por décadas.

Hoje, porém, após a surpreende ascensão do marketing digital, até os menores negócios conseguem trabalhar esses conceitos se beneficiando da segmentação do público e de estratégias e ferramentas muito mais acessíveis.

Não é mais necessário (nem mesmo viável para a maioria dos empreendedores) criar campanhas de impacto nacional, você pode trabalhar com públicos menores e chegar até eles pelo celular, por exemplo, ou criando pequenas ações regionais.

Por fim, é importante ressaltar que nem sempre um bom trabalho nesses indicadores garante bons resultados de venda. As pessoas podem se lembrar da marca, mas acabarem sendo influenciadas por outros fatores, como o preço, acesso ou opinião de terceiros.

Sendo assim, o share of mind, heart e voice servem apenas para medir a profundidade, o impacto e o reconhecimento de uma marca, mas a qualidade do atendimento e do produto ou serviço que você oferece continuam sendo as peças-chave do sucesso do negócio.

Ficou claro as diferenças entre os indicadores para você? Qualquer dúvida é só deixar nos comentários e responderemos com prazer!

Powered by Rock Convert

Redatora/Criativa do HUB Criação, caiu na publicidade por acaso, há 17 anos. Adora um bom texto, seja pra ler ou pra escrever.