Sem mistério: quais critérios de ranqueamento no Google são prioridade?

Precisando de uma forcinha para melhorar seu ranqueamento no Google? Em se tratando de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca), por mais que todo o passo a passo seja seguido à risca, não existem resultados da noite para o dia. Portanto, planejamento e persistência são fundamentais!

Embora a empresa não revele oficialmente os critérios, estima-se que há cerca de 200 fatores de ranqueamento utilizados pelo Google. Isso abre espaço para uma infinidade de técnicas e “atalhos” sobre SEO espalhados por ai.

Mas não se preocupe: preparamos este artigo justamente para acabar de vez com qualquer confusão a respeito do assunto e deixar claros os itens prioritários na configuração do seu site. Pronto para levar sua marca ao topo do Google? Então vamos lá!

Comece pelo conteúdo

Iniciamos abordando o SEO On Page, que consiste na otimização do site em si, desde o código das páginas até as palavras-chave e links internos.

Neste artigo, porém, deixaremos as configurações mais técnicas de lado visando focar na construção do conteúdo, ok?

Conteúdo único e relevante

O primeiro passo para uma boa estratégia de SEO é definir e selecionar o tema tratado no conteúdo, algo fundamental para que ele atinja as pessoas certas.

Não é necessário se preocupar com os robôs a princípio: pense no seu público e descubra as principais questões que ele deseja esclarecer.

Palavras-chave

As palavras-chave estão no coração de uma boa estratégia de SEO e precisam ser selecionadas com bastante cuidado. Afinal, são elas que direcionam a busca dos usuários para o seu conteúdo. As ferramentas mais usadas nesse trabalho são o Google Keyword Planner e o SEMrush.

Quanto à distribuição da palavra-chave, a recomendação é que ela esteja presente no título, em algum subtítulo (se possível), no primeiro parágrafo e ao longo do texto, naturalmente. Não é necessário nem indicado repeti-la de modo exaustivo. Lembre-se que variações do termo também são permitidas, uma vez que o Google é semântico.

Exemplo de Palavras Chave
Exemplo de Palavras Chave.

Título (title tag)

O título consiste, geralmente, no primeiro contato do usuário com o conteúdo, servindo ainda como espécie de “convite” para seu post.

É por isso que ele precisa chamar a atenção, gerar empatia no público ou prometer uma solução (que deve ser apresentada, é claro).

 Exemplo de Title Tag.
Exemplo de Title Tag.

Descrição (meta description)

A descrição também é exibida no resultado das buscas, tendo como função reforçar o convite do título, ou seja, incentivar o acesso do usuário.

Um detalhe importante é que a meta description não consta oficialmente como fator de ranqueamento no Google. Entretanto, como pode influenciar de maneira direta no tráfego, achamos importante considerá-la.

 Exemplo de Meta Description.
Exemplo de Meta Description.

URL amigável

URLs confusas, repletas de símbolos, números aleatórios e palavras quebradas desorientam o usuário, que não entende onde esta. Definitivamente, não são típicas de sites profissionais.

Via de regra, o ideal é exibir o título seguido pelo domínio principal, inserindo palavras separadas por hífen e evitando acentos, símbolos e excesso de números.

 Exemplo de URL amigável.
Exemplo de URL amigável.

Heading tags

As heading tags consistem no título interno e os subtítulos das páginas que são configuradas com as tags H1, H2, H3 até o H6.

Estas tags auxiliam o buscador a identificar a hierarquia das informações distribuídas no conteúdo. A tag H1 é o título da página, a H2 os tópicos, H3 os subtópicos e assim por diante.

Exemplo de headings tags.
Exemplo de headings tags.

Melhore a navegação

Agora que seu conteúdo está pronto e bem configurado, é preciso pensar na estrutura que irá recebê-lo.

A qualidade das páginas do site figura como um critério de avaliação para o ranqueamento no Google. É bom se atentar aos fatores que garantem uma navegação eficiente, como os listados a seguir.

Velocidade de carregamento

Em 2010, os dirigentes do Google deixaram claro que o tempo de carregamento das páginas dos sites afeta diretamente a experiência do usuário e, por isso, é também um fator considerado no ranqueamento.

Para analisar o desempenho do carregamento do seu site, você pode usar a Google Pegespeed.

 Ferramenta do Google para testar a velocidade de carregamento de um site.
Ferramenta do Google para testar a velocidade de carregamento de um site.

Responsividade

Sites responsivos são aqueles preparados para execução em dispositivos móveis, tais como tablets e smartphones.

Desde 2015, o Google utiliza a responsividade como critério de ranqueamento. Você pode testar seu site usando o Mobile Friendly Test.

Ferramenta do Google para testar a responsividade de um site.
Ferramenta do Google para testar a responsividade de um site.

Usabilidade

Desde a arquitetura das páginas até a facilidade de navegação e acesso, tudo contribui para a experiência favorável do usuário, aumentando o tempo de permanência nas páginas e consequentemente reduzindo a temida taxa de rejeição.

Certificação SSL (HTTPS)

Sabe aquele pequeno cadeado à esquerda da URL dos sites? Ele indica que o site codifica informações usando criptografia e, por isso, sua navegação é segura.

Embora ainda não se tenha notado um impacto desse mecanismo no ranqueamento, o Google informou recentemente que os portais que o usam ganham prioridade nas buscas.

Certificação SSL
Certificação SSL que aparece ao lado do cadeado na barra de endereços.

Construa autoridade de domínio

Até meados de 2016, a Google disponibilizava dados do PageRank para os usuários como uma métrica. A partir desse momento, então, a companhia decidiu ocultar os dados citados, abrindo espaço para outras corporações apresentarem soluções semelhantes.

Entre elas, a DA ou Domain Authority (autoridade de domínio) foi uma das que mais se destacou. Essa métrica, desenvolvida pela empresa americana Moz, é capaz de “prever” o ranqueamento de um site no Google com base em uma escala de 0 a 100 definida por mais de 40 fatores como número, diversidade e qualidade de links, menções em mídias sociais, idade do domínio e volume de buscas.

Assim como o Google, a Moz não revela todos os parâmetros utilizados por seu algorítimo, mas disponibiliza uma ferramenta gratuita, a Open Site Explorer (OSE), onde você pode verificar a DA do seu site.

Ferramenta da MOZ.
Ferramenta da MOZ.

Trabalhe o link building

Nessa etapa da configuração, entramos no SEO Off Page e começamos a trabalhar fora do site para melhorar o ranqueamento no Google.

Os links são como moedas no SEO, porém nem todas elas valem ouro. Quanto maior a autoridade do site, mais valiosos se tornam os links incorporados. Ou seja, cinco links de qualidade vindos de portais respeitados e bem ranqueados pesam mais a seu favor do que dez de endereços irrelevantes ou com temáticas distantes do seu conteúdo.

A linkagem interna é importante entre as páginas do seu blog. Entretanto o sucesso de um bom link building está nas parcerias. Conseguir links externos de qualidade aparece como uma das melhores estratégias para obter resultados orgânicos mais rápidos.

Qualifique seu trabalho sempre

As buscas na internet se tornaram a grande disputa das empresas nos últimos anos e quem define o resultado dessa corrida é o algoritmo do Google. Essa ferramenta nasceu a partir do PageRank, um mecanismo criado por Larry Page, cofundador da organização, que determina a relevância de uma página ou site na internet.

De lá para cá, esse “robô computacional” passou por diversas melhorias (Florida, Panda, Penguin, Hummingbird, UTTPS/SSL Update, Mobilegeddon, Rankbrain e o atual Fred), mas o objetivo continua sendo o mesmo: entregar o conteúdo mais relevante ao usuário.

Evolução do Algoritmo do Google
Evolução do Algoritmo do Google. Fonte: SearchLab.

Procure, portanto, ouvir a audiência e melhorar seu conteúdo constantemente para que ele seja cada vez mais mencionado, procurado e continue atendendo as necessidades do público.

Por fim, vale ressaltar que, para melhorar a eficácia da sua estratégia de ranqueamento no Google, é fundamental que todas as práticas citadas sejam trabalhadas juntas. Trata-se de um trabalho árduo e contínuo, mas capaz de ajudar seu negócio a dar um grande salto.

Quer se aprofundar ainda mais no assunto? Então confira agora nosso guia completo com as principais métricas de marketing digital e inbound!

Powered by Rock Convert