20 tipos de marketing para fazer a sua empresa decolar

O marketing é uma área com perspectivas muito amplas e, muitas vezes, seu enorme leque de ações e vertentes disponíveis chega a gerar confusão até mesmo dentro das organizações. Entretanto, todos os diversos tipos de marketing são uma característica essencial da área, que se reformula continuamente para atender uma sociedade em constante transformação.

O próprio Philip Kotler, considerado o pai do marketing moderno, cita em um dos seus livros que “o marketing é uma corrida sem linha de chegada.” Sabemos que você chegou até aqui para conferir os 20 tipos de marketing para aplicar na sua empresa, mas precisamos definir alguns conceitos muito importantes antes de apresentá-los.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo completo, em que você entenderá, de uma vez por todas, o que é marketing, qual a sua diferença em relação à publicidade e propaganda, o que é abordagem direta e indireta, e também as principais metodologias utilizadas no momento e como podem melhorar os seus resultados e a comunicação do seu negócio. Aproveite a leitura!

O que o marketing não é?

A famosa fintech brasileira Nubank se promovia anos atrás como uma empresa que chegou aonde chegou sem precisar investir em marketing, pois apenas a qualidade do seu serviço era suficiente para promovê-la. No entanto, assim como você perceberá ao longo deste artigo, a própria pesquisa e desenvolvimento de uma solução faz parte do marketing, assim como a tradicional divulgação boca a boca.

Com frequência, especialmente no Brasil, o marketing é tratado ora como um conceito totalmente distinto, ora como um mero nome “chique” para a publicidade e propaganda, e essa confusão entre os termos rende debates até no meio acadêmico.

Porém, embora as três práticas estejam correlacionadas, elas não são sinônimas. O marketing engloba todas as formas de comunicação profissional e empresarial, enquanto a publicidade e a propaganda podem ser definidas como:

Publicidade

Como seu próprio nome revela, publicidade é tornar algo público, seja um produto, uma empresa ou mesmo um conceito vinculado a eles, baseando-se em uma divulgação gratuita e espontânea. Como exemplo, podemos citar notícias publicadas gratuitamente pela mídia, o marketing viral e o marketing de referência, muito bem trabalhado pela Nubank.

Propaganda

Já a propaganda é a parte da publicidade que se refere à divulgação de anúncios por veiculação paga, com o objetivo de incentivar a atitude de um público específico dentro de uma grande massa. É o tradicional comercial pago no intervalo do seu programa favorito ou em outdoors, assim como os links patrocinados e banners em blogs e sites.

Afinal, o que é marketing?

Muito antes de Philip Kotler transformá-lo em um campo de estudo acadêmico, o marketing já se apresentava em muitas atividades antigas. Há quem mencione, inclusive, que o controle de massas empregado por Júlio César no Império Romano, baseado em comunicados sobre campanhas e vitórias lidos em praça pública, foi um dos primeiros tipos de marketing na história. O próprio termo marketing é derivado do latim “mercare”, que se referia ao ato de comercializar produtos na Roma Antiga.

De maneira geral, qualquer ação, esforço ou estratégia desenvolvida com o propósito de estudar, atender ou promover um serviço, produto ou marca dentro de um mercado pode servir como definição da palavra, e essa é uma das razões para a tamanha diversidade de ações desenvolvidas por aí.

A realidade é que o marketing está presente desde o estudo de mercado e desenvolvimento de um produto ou serviço até o pós-venda e fidelização do cliente.

O que são o marketing direto e o indireto?

Antes de falarmos sobre os tipos de marketing mais populares do momento, precisamos diferenciar as duas abordagens usadas na área para atingir o público. São elas o Marketing Direto e Indireto:

Marketing direto

Os nomes são autoexplicativos. No marketing direto, a marca se apresenta diretamente ao consumidor, ou seja, são as promoções, eventos, panfletos, telefonemas e qualquer outra ação por meio da qual a empresa se expõe ao público e oferece seu produto ou serviço de forma direta.

Marketing indireto

O marketing indireto, por sua vez, visa a uma exposição mais “sutil” da marca, geralmente, inserindo-a dentro de um contexto. Os exemplos mais comuns são o merchandising (muito comum em filmes e novelas), conteúdos institucionais e o Inbound Marketing, sobre o qual que falaremos em breve.

Quais os 20 tipos de marketing mais utilizados do momento?

Agora, chega de conversa! Conheça os 20 tipos de marketing mais falados e utilizados do momento para você fazer a sua empresa decolar!

1. Marketing digital

Graças à sua versatilidade, o envolvimento com o público, bons resultados e, principalmente, porque a presença digital já é considerada uma exigência nos dias de hoje, investir em marketing digital é a grande oportunidade do momento. A área está em alta há muitos anos e, segundo relatório da CMO Survey, os investimentos podem crescer 8,9% em 2018.

Outra vantagem de trabalhar sua comunicação online é que existem ações que cabem em qualquer orçamento de marketing e a variedade de estratégias pode atender praticamente a todo tipo de negócio. Os blogs, e-commerces, aplicativos, redes sociais e vários outros canais e recursos estão sendo muito utilizados, e estratégias consolidadas como o Inbound Marketing, e-mail marketing, vídeo marketing e várias outras nunca foram tão procuradas.

2. Inbound Marketing

O Inbound Marketing é uma estratégia que segue na contramão das estratégias de venda tradicionais. Ao contrário do Outbound Marketing, que detalharemos a seguir, o Inbound busca atrair públicos específicos por meio da disponibilização de conteúdos relevantes para eles e, por isso, é também conhecido como Marketing de Atração.

Nas palavras do empresário e escritor Marcus Sheridan, “excelentes conteúdos são as melhores ferramentas de venda do mundo” e, com a expansão do acesso à internet e popularização do consumo de informações online, o Inbound se apresenta como uma das grandes forças do marketing digital.

Porém, sua eficácia exige um planejamento detalhado, que deve contemplar personas, funil de vendas, otimização para motores de busca e até investimentos em Outbound em alguns casos.

3. Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é o braço direito do Inbound Marketing, devido à sua grande importância na estratégia. Consiste em aproximar potenciais consumidores da marca por meio de ações de conteúdo, como publicações em sites, blogs e redes sociais. Ou seja, o marketing de conteúdo é todo conteúdo desenvolvido para informar, entreter ou educar um futuro cliente.

Mas, afinal, qual a diferença entre Inbound Marketing e marketing de conteúdo? Por definição, podemos dizer que o marketing de conteúdo é uma estratégia de relacionamento com o consumidor, e o Inbound Marketing é uma estratégia de conversão e vendas, porém, os dois são interdependentes. Não há como gerar leads sem produzir bons conteúdos, por exemplo, portanto, um depende do outro.

4. Outbound Marketing

O Outbound Marketing se assemelha aos tipos de marketing mais tradicionais. É uma maneira direta de atingir e captar clientes, logo, o perfeito oposto do Inbound, que procura criar um relacionamento para concluir a venda. No Outbound, a empresa vai até o cliente, seja por comerciais, flyers, telemarketing, banners ou anúncios patrocinados na internet.

Embora atuem de maneiras diferentes, Inbound e Outbound Marketing podem ser executados juntos, como estratégias complementares. É uma boa alternativa para campanhas muito jovens que precisam de um “empurrãozinho” para ganharem destaque em menos tempo, principalmente, em nichos de mercado muito competitivos, com grandes sites e blogs já consolidados.

5. Social media marketing

O social media marketing é o marketing nas redes sociais e demais mídias relacionadas, umas das áreas mais promissoras da atualidade, que consiste em promover uma pessoa ou organização em plataformas como Facebook, Instagram, Twitter ou LinkedIn. As mídias sociais atraem cada vez mais usuários, assim como as empresas que procuram se posicionar onde seus consumidores estão.

De acordo com o a pesquisa Social Media Trends 2018, promovida pela Rock Content, 94,4% das empresas entrevistadas realizam algum tipo de ação nas redes sociais (um pequeno aumento em relação à pesquisa do ano anterior, em que o número fechou em 92,1%) e 62% delas acreditam que esse tipo de estratégia é importante para os negócios.

6. Vídeo marketing

Uma das estratégias cada dia mais trabalhadas por profissionais e empresas dos mais diversos tamanhos e nichos, o vídeo marketing é uma das principais tendências do marketing. Hoje, os vídeos podem ser reproduzidos em toda parte, seja no laptop, no celular, na TV ou em videogames, e uma das causas da sua popularidade se deve à facilidade de consumir esse tipo de conteúdo e seu forte poder de engajamento.

Segundo levantamento realizado pela State Of Video Marketing em 2017, 63% das empresas consultadas já utilizam vídeos em suas estratégias de marketing e, de acordo com outra pesquisa realizada pela OptinMonster, este ano, os vídeos podem aumentar o alcance da marca em até 54%. Todos esses dados e muitos outros estão diretamente ligados ao sucesso dos canais no YouTube, das lives do Facebook e do recente IGTV, a nova plataforma de vídeos do Instagram.

7. Geomarketing

Uma outra tendência para quem deseja criar forte presença digital é o geomarketing, que se refere a qualquer tipo de estratégia que trabalhe com tecnologia de geolocalização. Com a incorporação de recursos como GPS, Wi-Fi e Bluetooth nos celulares, as empresas agora podem acessar esse tipo de dado e segmentar campanhas de acordo com a localização dos usuários.

Um dos tipos de marketing mais interessantes nessa área é o marketing de proximidade, uma estratégia que busca utilizar esses recursos para atrair clientes em lojas físicas. Uma das empresas pioneiras nesse segmento foi o Walmart, ao adotar um sistema digital em que o cliente recebe uma notificação pelo aplicativo ao chegar à loja, e é informado sobre a prateleira em que seu produto está.

8. Mobile marketing

“Nós não entramos online, a gente vive online.” Assim, inicia o documentário Mobile Day, produzido pela Google. Fazer consultas na internet, acessar redes sociais, fazer compras e uma infinidade de outras tarefas no celular já é uma realidade, e esse avanço representa uma das notáveis mudanças de comportamento testemunhadas pela transformação digital.

O mobile marketing consiste em ações voltadas exclusivamente para a experiência em dispositivos móveis, como o desenvolvimento de sites responsivos, anúncios com layout específico, aplicativos, e até o envio de informações e promoções por mensagens de texto: o chamado SMS marketing, que ainda resiste, mesmo com a ascensão dos mensageiros instantâneos, como o WhatsApp.

9. Marketing offline

Embora os investimentos em marketing estejam migrando para o digital, as estratégias tradicionais persistem como anúncios em revistas e jornais, envio de mala direta, sorteio de prêmios e o telemarketing. O marketing offline, portanto, se refere às ações de marketing que não dependem da internet para serem executadas.

Por muito tempo, essa foi a única forma de se fazer marketing, até o relativamente recente desenvolvimento da internet e sua posterior expansão. A expectativa, entretanto, é que os dois mundos, online e offline, se integrem cada vez mais e as estratégias tradicionais sejam aprimoradas pelos recursos tecnológicos.

10. Remarketing

Um plano de marketing bem elaborado precisa antecipar todas as possíveis atitudes tomadas pelo consumidor. O remarketing, também conhecido como retargeting, é usado para atrair novamente uma pessoa que demonstrou algum tipo de interesse pelo conteúdo, serviço ou produto ofertado, mas não concluiu a compra ou conversão.

Usuários que abandonam o carrinho em lojas virtuais, deixam de pagar o boleto emitido na compra ou apenas visitam a página de vendas sem comprar nada são exemplos que oferecem oportunidades de remarketing. O contato é frequentemente feito por e-mail, SMS ou ligação, em que um atendente procura entender as razões da desistência para tentar a venda ou conversão mais uma vez.

11. Marketing de relacionamento

O propósito do marketing de relacionamento é desenvolver um conjunto de ações com o propósito de criar e manter um relacionamento positivo com o consumidor durante todo o processo de compra (desde o primeiro contato com a empresa até o pós-venda). Ao desenvolver um vínculo emocional com as pessoas, a percepção da marca ou produto ganha valor na mente do consumidor.

O conhecido marketing de fidelização é um tipo de marketing de relacionamento, só que focado na retenção de clientes. O processo pode ser feito por meio de contratos com durabilidade determinada, ou de maneira indireta, trabalhando a imagem da empresa. Outras estratégias podem ser usadas para auxiliar no processo, como o marketing de referência, que abordaremos a seguir.

12. Marketing de referência

Marketing de referência, de recomendação ou simplesmente boca a boca são ações que buscam melhorar a percepção da marca de tal forma que os próprios clientes se sintam motivados a recomendar o produto ou serviço para familiares e amigos. É um tipo de marketing mais atrelado à publicidade, mas o uso de propagandas também pode desempenhar papel importante no resultado final.

O ponto de partida dessa estratégia é o branding. Não há como despertar esse tipo de comportamento no consumidor se a imagem da empresa não é positiva, portanto, uma boa gestão da marca é um fator-chave na aceitação e popularidade de qualquer projeto. Esse é um dos modelos de captação de clientes mais antigos e, talvez, um dos mais presentes no dia a dia das pessoas.

13. Buzz marketing

O buzz marketing ganhou destaque na TV e jornais, mas, sem sombra de dúvidas, foi a internet que fez dele um imenso sucesso nas últimas décadas. O buzz marketing é o famoso marketing viral, que tomou enormes proporções, em especial, nas mídias sociais, após a disponibilização das opções “curtir” e “compartilhar”.

Imagens e vídeos aparentemente amadores conseguem uma repercussão gigantesca devido ao compartilhamento dos próprios usuários. É uma estratégia que pode gerar resultados rápidos com baixíssimo investimento, mas é também muito arriscada devido à tamanha exposição da empresa. Por isso, deve ser planejada com cuidado para que o conceito transmitido não gere uma percepção negativa da marca.

14. Marketing de Influência

Atrelar marcas a personalidades famosas é uma estratégia que ganhou popularidade no cinema, se fortaleceu na TV e, hoje, também garante ótimos resultados na internet. Cada dia mais empresas apostam em digital influencers para promoverem suas marcas e produtos.

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto QualiBest este ano, os influenciadores são a segunda fonte de informações para a tomada de decisão de compra, ficando atrás apenas da opinião de parentes e amigos.

Uma outra forma de trabalhar o marketing de influência é promover sites e blogs corporativos, ou os próprios fundadores da empresa como influenciadores, uma forma muito poderosa de construir autoridade, mas que pode levar um longo tempo para começar a gerar resultados, principalmente, em nichos que já contam com influenciadores muito famosos.

15. Marketing social

Quando os esforços da campanha são focados em uma causa social, tal como um problema do município ou do país, cuja solução é de interesse público, chamamos isso de marketing social. Associar a marca a ações importantes e positivas não só a promove publicamente como pode influenciar a percepção do cliente, que se sente um personagem indireto nas ações sociais da empresa.

Os exemplos mais comuns dessa estratégia são as campanhas para arrecadação de fundos para instituições de caridade em programas de televisão, que agora também se estendem para o ambiente online, e eventos para recolher alimentos ou agasalhos para famílias necessitadas.

Qualquer tipo de promoção de cultura, lazer, saúde, educação ou conscientização que esteja atrelado a uma marca pode ser considerado marketing social, no entanto, as ações realizadas precisam ser condizentes com os valores da organização.

16. Endomarketing

Endomarketing são todas as ações de marketing direcionadas aos colaboradores da empresa. É um dos tipos de marketing que ganhou popularidade com os modelos de carreira e trabalho inovadores do Google e, hoje, é considerado uma das melhores formas de melhorar a qualidade de vida e performance de sócios e funcionários, além diminuir a rotatividade e facilitar futuras contratações.

O marketing interno, como também é chamado, tem o propósito de melhorar a imagem da organização junto à equipe de trabalho por meio de melhorias e incentivos que gerem maior engajamento e produtividade. Uma das suas principais ferramentas é o marketing de incentivo, que consiste em oferecer benefícios em troca do bom desempenho.

17. Marketing multinível

O marketing multinível, também conhecido em outros países como marketing de rede, é considerado uma espécie de evolução da clássica venda direta, em que o vendedor se aproxima do consumidor pessoalmente. É operado por meio de uma cadeia que envolve empresa, vendedores e recrutadores, todos eles remunerados nas vendas.

É um dos tipos de marketing mais polêmicos das últimas décadas devido a condutas antiéticas e ilegais promovidas por antigas empresas que diziam utilizá-lo. O marketing multinível, porém, é uma prática válida, legal e eficiente, que conta com grandes organizações de sucesso no Brasil, como Avon e Natura.

18. Marketing de guerrilha

Batizado por Jay Conrad Levinson, o nome marketing de guerrilha foi inspirado nas estratégias utilizadas por civis na guerra do Vietnã que, mesmo contando com poucos homens e recursos, conseguiram vencer um exército maior. A sua ideia principal consiste em promover empresas com poucos recursos por meio de ações inovadoras e surpreendentes.

O marketing viral é frequentemente utilizado dentro do marketing de guerrilha, mas ações de destaque podem ser obtidas por meio da própria melhoria de um produto ou serviço. É muito popular em startups que tentam se valer da boa e velha criatividade para competir com grandes organizações prestigiadas.

19. Marketing de performance

Vertente que ganhou força com as ferramentas de marketing digital, o marketing de performance procura levantar dados, monitorá-los e otimizá-los, com o objetivo de melhorar os resultados das campanhas. Consiste, portanto, em garantir um controle mais efetivo nas decisões, sendo o ROI de marketing o fator-chave de todas as suas ações.

A mensuração das informações permite uma administração mais inteligente que, naturalmente, se percebe nos resultados. Dentro do marketing de conteúdo, por exemplo, entre as empresas que se consideraram bem-sucedidas (57,8%), 44,4% afirmaram documentar suas estratégias, segundo a Content Trends 2017.

20. Data driven marketing

Atrelado ao marketing de performance, o data driven marketing trabalha ativamente com métricas e monitoramento. O volume de dados coletados está se tornando tão expressivo que novas tecnologias e profissionais estão sendo requisitados para organizá-los e relacioná-los de forma eficiente.

Para se ter uma ideia, a quantidade total de dados criados em todo o mundo está dobrando a cada dois anos e a expectativa é que, em 2020, teremos cerca de 40 trilhões de gigabytes armazenados em servidores ao redor de todo o planeta, de acordo com um estudo realizado pela Gartner e IDC. A tendência, portanto, é que as ações de marketing sejam cada vez mais precisas e menos dependentes de “achismos”.

Como você vê, o marketing pode assumir inúmeras formas que se entrelaçam obrigatoriamente ou não, de acordo com o seu planejamento. É claro que essa lista não termina aqui, pois poderíamos citar também o marketing verde, o marketing pessoal, o marketing de serviços e muitos outros, mas, neste artigo, vamos parar por aqui.

Escolher a melhor estratégia entre os tantos tipos de marketing exige muito estudo e um conhecimento detalhado da empresa, seu público, objetivos e valores. É importante ressaltar também que nenhuma metodologia é melhor ou pior do que outra — tudo dependerá das características específicas de cada negócio.

Quer aprender mais? Agora que já conhece os vários tipos de marketing, saiba agora como definir e controlar melhor o orçamento!

Powered by Rock Convert

CEO do Hub Criação, publicitário desde 2000, empreendedor por natureza e apaixonado por inovação!