Inbound e Outbound Marketing: quais são as diferenças e como equilibrar?

Estamos testemunhando um momento de notável fluidez no mercado, no qual as estratégias e as metodologias utilizadas são repensadas todos os dias. Os conceitos de inbound e outbound marketing comprovam esse fato.

O inbound é considerado uma novidade, embora já seja muito utilizado por empresas dos mais diversos segmentos, inclusive no Brasil. O outbound, por sua vez, é visto como um marketing tradicional, mas sofreu várias mudanças nos últimos anos para se adequar às novas exigências do consumidor.

Se ainda não está muito familiarizado com os dois termos, você chegou ao lugar certo! Neste post nós explicaremos as principais diferenças entre inbound e outbound e como as duas estratégias podem ser combinadas da melhor forma possível. Aproveite a leitura!

O que é inbound marketing?

Fica mais fácil entender o inbound quando o chamamos de marketing de atração, pois é exatamente o que ele propõe. Essa metodologia consiste em despertar o interesse do cliente por meio de conteúdos relevantes para que ele venha até a empresa — e não o oposto, como acontece no outbound.

O grande desafio do inbound, portanto, é gerar e entregar conteúdo de qualidade para as pessoas certas, inserindo-as em uma jornada educativa que tem como destino o seu produto ou serviço. Esse processo é formado por várias etapas e é guiado por um método conhecido como funil de vendas.

O inbound está presente em blogs corporativos, páginas de redes sociais, e-books, infográficos, webinars e muitos outros canais que ficam disponíveis para educar e informar o consumidor.

O que é outbound marketing?

O outbound é uma abordagem mais invasiva, na qual a empresa se dirige ao cliente interrompendo o que ele está fazendo para anunciar o seu produto. É um marketing mais ativo e menos direcionado. Ele geralmente é retratado como o “velho marketing”, pois já era muito utilizado antes da popularização da internet.

Propagandas na TV, no rádio, em jornais e em revistas, por exemplo, são considerados outbound marketing. Na internet ele ganhou uma nova cara com os banners, pop-ups, comerciais embutidos em vídeos, e-mails promocionais e outras estratégias.

A grande mudança, entretanto, se deu graças aos programas de recomendação — como o Google AdSense, que entrega publicidade direcionada ao usuário, tornando o outbound um pouco menos agressivo.

Quais são as principais diferenças entre inbound e outbound marketing?

Veja as principais características que diferenciam os dois tipos de abordagem:

Comunicação

No inbound a comunicação é direcionada e existe mais diálogo e interação entre as partes. Há também mais engajamento e envolvimento do cliente com a empresa, pois o conteúdo oferecido tem valor para ele. No outbound a comunicação é direta, geralmente interruptiva, e voltada para grandes massas.

Custos

Como o conteúdo é disponibilizado dentro do espaço da empresa — em sites e nas redes sociais —, o inbound tem um custo relativamente mais baixo. No outbound é necessário comprar espaço em mídias externas e, por isso, o investimento tende a ser maior.

Solidez

O inbound tende a alcançar resultados mais estáveis em razão do SEO (aumento de autoridade com o tempo) e do relacionamento construído com os clientes. No outbound, como a exibição da marca depende das mídias pagas, se o investimento for cortado por alguma razão, você “desaparece”.

Resultados (ROI)

O inbound envolve uma trajetória que pode exigir algum tempo para apresentar resultados. A vantagem é que é possível acompanhar o desenvolvimento da estratégia em tempo real e realizar ajustes quando necessário.

O outbound, por outro lado, te coloca no “topo” instantaneamente e, por isso, costuma apresentar resultados mais rápidos (ROI mais ágil).

O outbound ainda vale a pena?

O inbound vem conquistando seu merecido espaço no mercado. No entanto, segundo um estudo realizado pela Hubspot em 2017, 90% do investimento em marketing ainda é aplicado em estratégias de outbound. Esse resultado não é por acaso: o outbound funciona!

Você não veria comerciais na TV ou nos seus vídeos favoritos no YouTube se isso não fosse rentável. Muitas estratégias estão sendo reformuladas, principalmente na internet — onde o usuário decide o que vai acessar —, mas a mídia paga continua sendo um meio eficiente de alcançar o consumidor.

Para que tipo de negócio serve o inbound?

O inbound surge como uma adequação ao novo cenário do mercado, no qual os mecanismos de busca, blogs, redes sociais e e-commerces já fazem parte do cotidiano das pessoas. O cliente moderno é antenado, está constantemente conectado e sempre recorre à internet para tirar dúvidas ou resolver problemas.

Embora pareça uma metodologia voltada exclusivamente para empreendimentos online ou de tecnologia, o relacionamento e o engajamento gerados pela marca no processo de inbound pode favorecer negócios dos mais diversos segmentos, mesmo quando a venda acontece fora da internet.

Como usar inbound e outbound juntos?

Inbound e outbound são estratégias efetivas e não é à toa que muitas empresas mesclam as duas, captando clientes de todas as formas possíveis.

Empresas mais jovens, que ainda não têm um bom posicionamento no mercado, por exemplo, podem acelerar os seus resultados com o outbound enquanto constroem uma boa reputação no inbound.

Para garantir o melhor equilíbrio possível entre as duas ações é preciso levar em conta o retorno sobre o investimento (ROI) de cada uma delas para definir quais aplicações devem ser mantidas ou retiradas, visando uma otimização constante nas campanhas.

À medida que o trafego orgânico cresce, por exemplo, menor é a necessidade de utilizar mídias pagas. Pode ser mais difícil medir os resultados em ações offline, mas você pode criar meios de levantar esses dados — perguntando diretamente para o cliente, por exemplo, como ele encontrou a sua empresa.

Como vimos, o outbound é uma forma mais tradicional de atingir o público e ainda é utilizado amplamente em diversos canais de comunicação com ótimos resultados. Provavelmente, ele ainda se manterá eficiente por muitos anos.

Por outro lado, o inbound se apresenta como o futuro do marketing, uma resposta às inovações que dominam o mercado atual, pensada especialmente para suprir as lacunas geradas pelas mudanças no comportamento do cliente observadas nos últimos anos. É uma área do marketing que só tende a crescer.

As duas estratégias são muito distintas, mas de forma alguma a adoção de uma delas impede a execução da outra. Muito pelo contrário: é possível aplicar metodologias de inbound e outbound de maneira inteligente e integrada.

Gostou do artigo? Então continue no blog e aprenda como elaborar um plano anual de marketing para sua empresa!

Powered by Rock Convert